Arquivo do mês: fevereiro 2010

5 luxos e um lixo – Covers inusitados!

Sabe aquela música super conhecida? Tipo Bad Romance. Hunm, imagina então ela numa versão Bossa nova e…
É por aí que caminha esse 5 luxos e um lixo. Algumas vezes isso funciona, outras não. Vamos dar uma olhada em alguns exemplos?

LUXOS!

1) Wonderwall – The Mike Flowers Pops (Originalmente do Oasis)

Essa versão 50’s de Wonderwall é, em muitos aspectos, mais divertida que a original.

2) I will Survive – Cake (originalmente da Glória Gaynor)

Manteve toda a revolta da música original, só que de uma forma mais contida e, ouso dizer, mais nerd.

3) Wicked Game-  Him (Originalmente por Chris Isaak)

Pura sedução em ritmo mais acelerado. A original é tão entediante que você cansa na metade, se não estiver apaixonado ou vendo o filme pornô que é o clipe.

4) Comfortably Numb pelo Scissor Sisters (Originalmente do Pink Floyd)

Adoro como ficou… gay. Qualquer coisa na mão do Scissor Sisters fica bom e extremamente… gay. Amo! PURO LOOOSHO!

5) Superstar pelo Sonic Youth (Originalmente do The Carpenters!)

Sempre achei que era do Sonic Youth, então imagine minha surpresa quando descobri que era um COVER! A versão do Sonic é muito melhor e muito mais melancólica que a original. A original tem seu tom de melancolia, mas ficou muito melhor “modernizada”.

LIXO!


Love is not a competition but I’m winning pelo Paramore (Originalmente pelo Kaiser Chiefs)

1) Eles deixaram a música toda alegrinha, ou seja, tiraram o propósito dela. Você pode até manter uma batida mais forte, mas sem descaracterizar a música.
2) A voz da mulher ruiva é um SACO.

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em 5 luxos e 1 lixo, Música

Vamos todos falir em Março, mas vamos falir felizes =D

Era uma vez uma menina que comprava livros. Ela comprava muitos livros. E, além disso, ela leia blogs que diziam “compre mais livros!” ao resenhar livros lindos e maravilhosos.
E assim, ela chegou no mês de março, comprou todo o seu salário do ano em livros e morreu de fome.
FIM!

Esse talvez seja o seu futuro, principalmente se você não tem auto-controle. Depois de ver os lançamentos de Março de algumas editoras, eu pensei “OMFG, vou ter que começar a vender meus órgãos internos para comprar livros.”

Preparados? Vamos lá para a singela lista. Alguns não são do meu interesse, mas como eu sei que tem gosto para tudo, vou adicionar aqui. Conforme for achando mais títulos, faço mais posts ;D

Lançamentos normais/inícios de séries:

Ela foi até o fim, de Meg Cabot: Da Galera
Lou Calabrese é uma roteirista de sucesso – já escreveu vários roteiros de ação que renderam milhões de bilheteria e até ganhou um Oscar! O problema é que seu namorado, o grande astro do filme, resolveu deixá-la pela estrela principal! E agora Lou terá que provar que conseguirá passar por tudo para esquecê-lo e, no caminho, talvez até encontre o verdadeiro amor.
Leia o Primeiro capítulo!

Feios#1, de Scott Westerfeld: Da Galera

Em uma sociedade futurística, todos os adolescentes esperam ansiosos o aniversário de 16 anos, pois então serão submetidos a uma inacreditável cirurgia plástica, que corrigirá todas as suas imperfeições físicas, transformando-os em perfeitos. Tally, porém, acaba se envolvendo em uma conspiração e descobrirá que, por trás de tanta perfeição, se esconde um terrível segredo.
Leia o primeiro capítulo

Kiki de Montparnasse (Graphic Novel), de Catel & Bocquet: Da Galera.
Na Paris boêmia dos anos 1920, Alice Prin tornou-se Kiki de Montparnasse, uma das primeiras mulheres emancipadas daquele século. Companheira de Man Ray e musa de tantos outros como Kisling, Fujita, Picasso e Modigliani, foi eternizada em quadros, fotos e manifestos. A vida como modelo e cantora, as noites nos cabarés, o relacionamento com Man Ray, a amizade com Fujita, a biografia censurada (com prefácio de Ernest Hemingway)… Tudo ganha vida nesta graphic novel biográfica.

Imortal – Histórias de Amor Eterno : Da Editora Planeta.

Coletânea reunida pela Pc Cast, de House of the Night. Ela não importa, o que importa é que tem um conto da Richelle Mead e outro da Rachel Caine (de Mortal Instruments)! Além disso, tem a tal Claudia Gray, da série Evermore.

Continuação de Séries:


Indomada, de P.C. Cast e Kristin Cast (4º livro da série House of the Night)
: Da Novo Século.

“A vida é uma droga quando seus amigos estão chateados com você. Basta perguntar a Zoey Redbird – ela se tornou uma perita no assunto. Em uma semana ela passou de três namorados a nenhum, e de ter um grupo íntimo de amigos que confiavam nela e a apoiavam, para ser uma rejeitada. Falando de amigos, só sobraram dois. Neferet declarou guerra aos seres humanos, Zoey sente em seu coração que está errado. Mas será que alguém a escutará? As aventuras de Zoey na escola de aperfeiçoamento de vampiros da uma reviravolta selvagem e perigosa, lealdades são testadas, enquanto chocantes e verdadeiras intenções vem a luz, e um mal antigo é despertado no quarto volume fascinante da série Casa da Noite.”

Frostbite, de Richelle Mead (nome ainda sendo decidido no Vampire Academy Brasil): Continuação de “O Beijo das Sombras”, pela Nova Fronteira.

Rose ama Dimitri, Dimitri poderia amar Tasha, e Mason morreria para ter Rosa…
É férias de inverno em St. Vladimir, mas Rosa está se sentindo qualquer coisa menos festiva. Um ataque de Strigois volumoso deixa a escola em alerta vermelho, e agora a Academia está fervilhando de Guardiães – inclusive a mãe de Rose, Janine Hathaway. E como se combater com sua mãe não fosse ruim o suficiente, Rose desconfia que Dimitri está de olho em outra pessoa, Mason gruda nela e Rose continua presa na cabeça da Lissa enquanto ela fica com seu namorado, Christian! O Strigoi estão aproximando-se, e a Academia não está tomando quaisquer providências….Este ano, a viagem de esqui anual da St. Vlad é obrigatória. Mas a reluzente paisagem de inverno em uma Idaho elegante só cria a ilusão de segurança. Quando três amigos vão embora em um movimento de ofensiva contra os mortais Strigoi, Rose deve juntar forças com Christian e salvá-los. Mas heroísmo raramente vem sem um preço…

A fúria, de L. J. Smith (Diários do Vampiro#3): da Galera.
Após os inacreditáveis acontecimentos em Fell’s Church, Elena está prestes a iniciar uma nova vida. Porém, seu antigo amor foi esquecido, e agora Damon e Stefan terão que lutar mais uma vez para conquistar sua amada.
Leia o primeiro capítulo!

39 Clues – Uma Nota falsa, de Gordon Korman: Da Ática
 Depois de quase morrerem em Paris, os irmãos Amy e DanCahill finalmente conseguem a primeira das 39 pistas e agora partem para a cidade onde viveu um dos maiores compositores de todos os tempos: Viena, a terra de Mozart! Os irmãos também vão passar por Salzburgo, uma cidade linda e calma, conhecida por seu renome musical, sua arquitetura barroca e belas paisagens.

Esse já lançou, mas você vai querer de qualquer forma:
Opúsculo – THE HARVARD LAMPOON: Da Novo Século.

Opúsculo é uma hilariante paródia do Crepúsculo, de Stephenie Meyer, e conta a história de amor de Belle Goose e o misterioso e brilhante Edwart Mullen, Belle é uma garota pálida e desajeitada que chega a cidade de Switchblade, Oregon, buscando aventura, ou pelo menos um colega de classe imortal. Após testemunhar uma série de eventos estranhos – Edwart deixa suas batatas fritas intocadas no almoço! Edwart a salva de uma bola de neve voadora! – Belle tem uma dramática revelação: Edwart, um geek com interesse zero em garotas, é na verdade um vampiro, pelo qual ela está completamente apaixonada. Surge então o dilema: como ela poderia convencê-lo a mordê-la e assim transformá-la em sua noiva eterna, já que ele parece achar todas as garotas tão repulsivas? Cheio de romance, perigo, insuficiente proteção paternal, arrepiante comportamento de caçador compulsivo e com um baile de formatura de vampiro, Opúsculo é um conto tumultuado sobre uma garota obcecada por vampiros, que busca o amor em todos os lugares errados.

Fontes:
Publish News
Vampire Academy Brasil
Novo Século
Sobre Livros
39 Clues Brasil

7 Comentários

Arquivado em futuro apocalíptico, livro, Novidades, Vampire Academy, Vampire Diaries

Não muito épico: Percy Jackson E O Ladrão De Raios, a adaptação mais broxante dos últimos 10 anos

Mesmo que a adaptação seja um saco, você continua sendo fofo, Logan!


Eu me decepcionei porque eu esperava muito. Mesmo com o Craig Titley sendo o roteirista, eu ainda estava esperando que fosse o melhor filme do ano. Afinal, é Percy Jackson! Percy Jackson está na minha lista de 10+. É uma daquelas poucas séries que agradam a gregos e troianos (haha). Simplesmente não podem foder com PJ&O. É contra a lei!

Doce, doce engano.

Para começar, em João Pessoa inteira só tinham cópias dubladas. Eu perguntei para a minha mãe se eu, a Bell e o Vítor podíamos ir para Recife para ver legendado, mas aí ela me lançou um daqueles olhares ameaçadores e eu desisti da minha idéia idiota. Então, fomos os três marchando para o Manaíra Shopping, que para quem não sabe, é um shopping muito ruim. Nos acomodamos nas cadeiras não-reclináveis do cinema e a sessão começou.

Um vislumbre da maciez das cadeiras do Manaíra Shopping

O que posso dizer? A dublagem do Poseidon foi uma das coisas mais traumatizantes que eu já ouvi na minha vida. Até hoje eu tenho que tapar meus ouvidos para que as vozes de “Percy… você é meu filho” parem de me atormentar a noite, mas nunca funciona.
Tudo bem que tem os seus pontos altos tipo “Percy, Annabeth, a casa caiu!”, “Continua na pegada do Zé Ramalho”, Highway To Hell no ônibus, a cena bem legal da Sra. Dodds e uma Medusa bem assustadora.

O Percy continua desajeitado do jeitinho que eu amo, mas parece que cheirou o Pó Da Inteligência. E a Annabeth de repente ficou burra. Como assim é o Percy que tem os planos? Ela é filha de Atena, ela que tem os planos! Senão ela vira mais uma personagem feminina que só serve para enfeitar. Se seguirem essa lógica e fizerem o Mar De Monstros, o Tyson vai ser o personagem mais inteligente de todos! Não aprovo, definitivamente.

Tyson: “O quadrado dos catetos é a soma da hipotenusa e…” Annabeth: “Cateto não era aquele animalzinho?” Percy: “Ó Annabeth, mas tu és bronca mesmo! Meu querido irmão Tyson acabou de anunciar o teorema de pitágoras!” Grover: “Flw e disse, truuuta!”

Além disso, pesaram a mão no tema “ausência paterna”, deixando o Poseidon gayzinho demais. O Poseidon é ausente porque deuses são ausentes, não porque o Zeus é malvado e disse que as coisas seriam assim.
Sinto que tiraram toda a graça e a criatividade da minha série favorita, deixando só um filme fraco livremente baseado em Hércules. Dá zero pra eles!

12 Comentários

Arquivado em Decepção, Filme, Percy Jackson, resenha

Resenha de Vampire Academy e Frostbite no New Bites!

Para quem estava esperando, está aqui a resenha que eu fiz de VA e de Frostbite. Recém postada!
Lembrando que todas as resenhas relacionadas a vampiros aparecem no New Bites e a maior parte do material também. Apesar disso, sempre aviso aqui.

Lembrando também que está tendo uma votação no Vampire Academy Brasil para decidir o nome do segundo livro da série aqui. Votem!

Voltamos de viagem hoje de madrugada.

xoxo

2 Comentários

Arquivado em New Bites, resenha, Vampire Academy

Para sempre- eu vou me lembrar de que devo ficar longe de qualquer livro…

Pela primeira vez postando, apesar do convite da Bell eu acabei demorando para iniciar a minha participação nem um pouco épica e temo que a demora para postar vá se repetir, essa tal de vida e responsabilidade acaba comigo e com meu tempo livre. Enfim… vamos falar do que não interessa e o tema que me trás aqui hoje é um livro que, na minha humilde opinião, não serve nem pra limpar a bunda. Certo, certo sei que fui um tanto grosseira e radical, ou pode ser que eu tenha esperado demais (ou esperado alguma coisa na verdade), ou saturno estava numa posição ruim quando eu li o livro em questão, masssss eu totalmente D E T E S T E I! /prontofalei

Quando eu recebi um pacote de brinde e vi que era um livro fiquei tão feliz que não parei pra pensar que livro poderia ser, afinal ganhar livro é super maravilhoso, e então quando eu abri o pacote me deparo com ele…

Pois é foi um choque porque uma amiga da qual eu sempre converso sobre livro (Pandora ;*) estava me falando sobre ele e não foi nenhuma menção honrosa. Eu me abstive de ler a sinopse, sério se você ler a sinopse você não vai ler o livro, e mandei bala na leitura.
É um livro bem curtinho e dá pra ler em um dia, não que eu tenha conseguido tal proeza. Ignorando o preconceito eu corajosamente comecei a leitura motivada de que nada é tão ruim que não se possa piorar, como eu estava errada T.T . O inicio até dá pra aturar só que mais pra frente você pensa PU***UE**RIU e começa uma reação em cadeia à fatos que fazem você não apenas detestar o livro mais também os personagens que fazem parte dele.
Não sei vocês mais eu leio muita coisa e nem tudo é bom só que você valoriza o trabalho do autor por ter tido aquela idéia e por ter conseguido escrever, só quem tentou escrever sabe o quão difícil é >.<, só que neste livro a sensação que você tem é que está lendo uma mistura de todos os livros que estão bombando no mercado. Sério pensem bem, uma garota que perde os pais ( oiee esse clichê até perdoamos porque todo mundo usa), daí graças a isso ela recebe poderes sobrenaturais tentem adivinhar qual é… Não você errou! Ela não lança fogo, ou voa, ou cospe ácido, ou consegue se transmutar, nada legal assim, ela apenas consegue ler as mentes das pessoas e se na saga vampiros do sul (helloww gentem true blood) a Sookie não consegue um relacionamento a nossa amiga aqui passa pelo mesmo problema. Só que além disso ela tem um fantasma que ta sempre com ela quer dizer no quarto dela (A mediadora mandou lembrança nessa parte) e tem uma amiga gótica ( alguém leu vampire kisses?) e um melhor amigo gay que acha um gateeeeeeeeeeenho (desculpem não resisti a piadinha infame :/) o cara que ela vem a se apaixonar (melhor amigo gay? Hum… me lembra algum livro, ah sim claro Marcada da série house of night). Tá, tudo bem, vamos continuar então um cara misterioso e lindo de morrer chega na cidade dela com um carrão e roupas caríssimas (Por que será que o Edward não sai da minha cabeça?) e ele se aproxima dela e daqui começa o spoiler se você tem a intenção de matar seus neurônios lendo o livro não continue porque eu vou estragar a mais leve sensação de prazer que você teria lendo o livro ao descobrir o final do livro continuando… mais pra frente descobrimos que ela é idêntica à pessoa que ele amava no passado e começa uma mistura muito louca entre o protagonista ser Damon e Stefan (Vampire Diaries), sério. E isso não é elogio… Ele quando encontra a mulher que é a protagonista se torna bom e amável e quando ela morre, porque a amante louca dele mata ela em cada encarnação, ele se torna um playboy que cai em todos os pecados mortais e tal. Só que ela dá várias dicas que ele é um vampiro no decorrer do livro, pistas demais na verdade… Ele até bebe um liquido vermelho, e eis que temos o mistério reveleado e ele não é vampiro e sim um imortal que bebe um liquido da imortalidade “vermelho”, levando teorias da alquimia aqui e parece muito os alquimistas de vampire academy. Por fim o livro acaba e ela se torna imortal através de uma escolha, quer viver pra sempre basta escolher, muito tosco sabe… E o fato dela apanhar da mulherzinha me lembra muito a Bela e se eu não tinha paciência pra Bela imagina pra essa guria aqui.
Ahhhhhhhhhhhhhhhh eu quase ia esquecendo uma coisa, alguém leu a série da mediadora? Lembram do nada que a Suze e o Paul iam?Aquele lugar que nao é céu e também não é terra?Então eles tem um lugar desse aqui, está em perigo? Basta ir pra lá.
Minha opinião… Eu sei que escritores também tem que sobreviver e esse livro tem um apelo que vende… Mas pelo amor de Deus me mata nê?! Pegar o que cada uma das sagas de sucesso tem e tacar num livro além de virar uma sopa sem nexo o livro não tem sentido e não transmite nadinha. Os personagens não tem conteúdo e por isso desaparecem e/ou perdem o sentido em qualquer momento. Não dava muito pelo livro mais me decepcionou além do esperado porque dá pra perceber que é um livro meramente comercial.
Sei que tem gente que gosta e gosto é que nem bunda… Então respeite a minha bunda quer dizer opinião!
Por fim estou encerrando a minha primeira participação wee!!! Espero ver vocês muito em breve. Na verdade estou já preparando mais uma participação com uma série que eu amo de paixão! <3~>

6 Comentários

Arquivado em Crap, livro, resenha, revolts, Spoilers

Muito épico: Neverwhere – de Neil Gaiman

Mais uma vez, o Neil Gaiman me surpreendeu. Tá, eu não devia mais ficar surpresa em ler livros bons do Gaiman, porque TODOS são bons, mas não esperava muito de Neverwhere (ou Lugar nenhum, como traduziram na edição brasileira). Muitas pessoas comentam que é o mais fraco dele e eu esperava algo menor do que o comum.

Foi uma surpresa agradável. Neverwhere começa com Richard Mayhew, um jovem escocês que mora em Londres em uma vidinha que pode ser classificada como medíocre. Richard tem sua vida virada de cabeça para baixo quando encontra uma jovem ferida na calçada e, contra o protesto de sua noiva, decide levá-la para casa para cuidar de seus ferimentos. O que ele não sabe é que ela é a Lady Door e está sendo perseguida por dois brutamontes que querem matá-la. De boa vontade, procura ajuda para ela. Ele sequer espera que no dia seguinte ninguém perceba que ele existe. Ninguém. É como se ele nunca tivesse trabalhado onde trabalhava, nunca tivesse namorado a sua noiva, nem sequer fosse visível. Ele parte em busca de alguém que consiga vê-lo e então descobre todo um mundo novo: A Londres Abaixo, uma Londres que existe sob Londres e que reúne todos os tipos excluídos da sociedade, inclusive partes antigas da cidade e monstros. Richard parte com Lady Door, Marques de Carabás e Hunter numa jornada para tentar descobrir quem matou toda a família de Door e porque ainda querem matá-la.

Neil Gaiman nos transporta para um mundo surreal em sua Londres Abaixo, nos deixando estupefatos e maravilhados com suas idéias mirabolantes. Ele brinca com os bairros e estações de metrô da cidade como um menino brinca com seus soldadinhos, os transformando no que quer – de condes à anjos. Sabe todas aquelas lendas urbanas das quais você ouviu falar a acha que são mentira? Então, todas elas existem no mundo Abaixo. É um mundo multicolorido e multiracial que se reúne uma vez por semana em um Mercado Flutuante, onde se troca tudo – menos desavenças. Além da Londres Abaixo, os personagens criados por Gaiman possuem uma autenticidade tão grande que é difícil você não se afeiçoar a eles depois de algum tempo. Nenhum deles é perfeito, são só pessoas que estão tentando viver como podem.

A narração é divertidíssima, mas alguns pontos não ficaram muito claros. Alguns também ficaram meio forçados, principalmente uma parte que envolve uma certa Besta, Hunter e Richard Mayhew. Apesar disso, o livro é muito bom de ler, principalmente com as sutilezas que Gaiman sempre usa. Uma das minhas partes favoritas é no início, quando ele diz que (em inglês mesmo, porque nem de longe consigo ser tão boa com as palavras quanto o Gaiman):

“Richard had noticed that events were cowards: they didn’t occur singly, but instead they would run in packs and leap out at him all at once.”

ou:

“Richard felt oddly proud. He had proved himself in the ordeal. He was One Of Them. He would Go, and he would Bring Back Food.”

Eu ri demais em algumas passagens, mas não é o livro mais divertido do Gaiman. Achei ele um pouco inferior aos outros que eu li dele, mas não tanto. Acho que é porque Neverwhere foi inicialmente um roteiro que o autor fez para uma série da BBC. Como a série ficou uma bosta (na opinião dele e de todo mundo), ele decidiu escrever um livro para reparar o que tinha sido feito. Acho que por isso algumas partes ficaram estranhas, mas ainda assim vale muito a pena ler.

Lady Door, na série Neverwhere.

Atualmente, a Graphic Novel (porque hoje eu estou chique) de Neverwhere é lançada na Revista Vertigo da Panini e conta a história com uma fidelidade assombrosa, tirando pelo visual. Para começar, a Door parece uma prostituta e Richard é musculoso demais para mim. Isso tudo é do desenho – se eu fosse fazer, escolheria outro desenhista. De qualquer forma, acho que vale muito mais ler o livro.

Neverwhere, a HQ. Observem como ficou estranho =O

1 comentário

Arquivado em HQ, livro, neil gaiman, resenha

Quickies: Fatos sobre um verão caótico

Se você achar estranho que uma rua movimentada esteja sem carro às 9 da noite de uma sexta feita, é porque você entrou num bloqueio de bloco de carnaval e não reparou – mesmo você estando de carro.

Se algum dia você quiser matar alguém rapidamente, passe uma virose de verão para ela.

Todo hospital só serve suco de goiaba.

Eventualmente alguém confundirá desinfetante com amaciante de roupas.

Limpar a casa é sempre melhor se envolver mangueiras, sabão em pó e vassouras. Passar pano na casa? Isso é tão Old School!

Se várias pessoas tiverem virose na casa, podem ser pelos seguintes motivos:
a) A água da piscina
b) A Casa
c) A comida gordurenta
d) O suco de acerola
e) A manga
f) Possessão demoníaca
g) O ninho de passarinho que tem perto da casa
h) Andar descalço
i) Mofo
j) Qualquer outro motivo que não tenha NADA a ver.

Câncer é, obviamente, transmitido por bactérias.

Sua tia-avó não é preconceituosa, mesmo que chame um certo ex-ministro da cultura de “Macaco Baiano”

Essa mesma tia-avó continua não sendo preconceituosa, mesmo chamando a esposa da filha de “a amiguinha da minha filha”.

É um sinal do fim dos tempos quando uma de suas tias diz que vai se casar com um travesti para conseguir cidadania europeia.

Outro sinal do fim dos tempos é sua tia hipocondríaca ir te visitar depois de 5 anos, levando um atestado médico no bolso (!?)

Você nunca pode dizer com certeza quantas tias você tem e nem qual delas é a sua mãe, principalmente se estiverem de costas.

Sua avó entrará num ciclo vicioso: pela manhã dirá que não irá tomar banho de mar porque está com preguiça e de tarde lamentará não ter tomado banho de mar porque não trouxe o maiô (mas ela trouxe!).

Toda a programação legal que você fizer será estragada invariavelmente por algum tipo de mal súbito e inexplicável.

Na casa da praia, nenhum celular funcionará direito e a sua internet está sujeita à vontade aleatória dos deuses. =O

Nós estamos na beira-mar e aproveitando bastante, apesar de tudo o que tem ocorrido. Mais notícias em breve.

xoxo,

Grande Bunda Destruidora e Grande Boca Reclamona

Deixe um comentário

Arquivado em Quickies