Arquivo da categoria: Crap

Para sempre- eu vou me lembrar de que devo ficar longe de qualquer livro…

Pela primeira vez postando, apesar do convite da Bell eu acabei demorando para iniciar a minha participação nem um pouco épica e temo que a demora para postar vá se repetir, essa tal de vida e responsabilidade acaba comigo e com meu tempo livre. Enfim… vamos falar do que não interessa e o tema que me trás aqui hoje é um livro que, na minha humilde opinião, não serve nem pra limpar a bunda. Certo, certo sei que fui um tanto grosseira e radical, ou pode ser que eu tenha esperado demais (ou esperado alguma coisa na verdade), ou saturno estava numa posição ruim quando eu li o livro em questão, masssss eu totalmente D E T E S T E I! /prontofalei

Quando eu recebi um pacote de brinde e vi que era um livro fiquei tão feliz que não parei pra pensar que livro poderia ser, afinal ganhar livro é super maravilhoso, e então quando eu abri o pacote me deparo com ele…

Pois é foi um choque porque uma amiga da qual eu sempre converso sobre livro (Pandora ;*) estava me falando sobre ele e não foi nenhuma menção honrosa. Eu me abstive de ler a sinopse, sério se você ler a sinopse você não vai ler o livro, e mandei bala na leitura.
É um livro bem curtinho e dá pra ler em um dia, não que eu tenha conseguido tal proeza. Ignorando o preconceito eu corajosamente comecei a leitura motivada de que nada é tão ruim que não se possa piorar, como eu estava errada T.T . O inicio até dá pra aturar só que mais pra frente você pensa PU***UE**RIU e começa uma reação em cadeia à fatos que fazem você não apenas detestar o livro mais também os personagens que fazem parte dele.
Não sei vocês mais eu leio muita coisa e nem tudo é bom só que você valoriza o trabalho do autor por ter tido aquela idéia e por ter conseguido escrever, só quem tentou escrever sabe o quão difícil é >.<, só que neste livro a sensação que você tem é que está lendo uma mistura de todos os livros que estão bombando no mercado. Sério pensem bem, uma garota que perde os pais ( oiee esse clichê até perdoamos porque todo mundo usa), daí graças a isso ela recebe poderes sobrenaturais tentem adivinhar qual é… Não você errou! Ela não lança fogo, ou voa, ou cospe ácido, ou consegue se transmutar, nada legal assim, ela apenas consegue ler as mentes das pessoas e se na saga vampiros do sul (helloww gentem true blood) a Sookie não consegue um relacionamento a nossa amiga aqui passa pelo mesmo problema. Só que além disso ela tem um fantasma que ta sempre com ela quer dizer no quarto dela (A mediadora mandou lembrança nessa parte) e tem uma amiga gótica ( alguém leu vampire kisses?) e um melhor amigo gay que acha um gateeeeeeeeeeenho (desculpem não resisti a piadinha infame :/) o cara que ela vem a se apaixonar (melhor amigo gay? Hum… me lembra algum livro, ah sim claro Marcada da série house of night). Tá, tudo bem, vamos continuar então um cara misterioso e lindo de morrer chega na cidade dela com um carrão e roupas caríssimas (Por que será que o Edward não sai da minha cabeça?) e ele se aproxima dela e daqui começa o spoiler se você tem a intenção de matar seus neurônios lendo o livro não continue porque eu vou estragar a mais leve sensação de prazer que você teria lendo o livro ao descobrir o final do livro continuando… mais pra frente descobrimos que ela é idêntica à pessoa que ele amava no passado e começa uma mistura muito louca entre o protagonista ser Damon e Stefan (Vampire Diaries), sério. E isso não é elogio… Ele quando encontra a mulher que é a protagonista se torna bom e amável e quando ela morre, porque a amante louca dele mata ela em cada encarnação, ele se torna um playboy que cai em todos os pecados mortais e tal. Só que ela dá várias dicas que ele é um vampiro no decorrer do livro, pistas demais na verdade… Ele até bebe um liquido vermelho, e eis que temos o mistério reveleado e ele não é vampiro e sim um imortal que bebe um liquido da imortalidade “vermelho”, levando teorias da alquimia aqui e parece muito os alquimistas de vampire academy. Por fim o livro acaba e ela se torna imortal através de uma escolha, quer viver pra sempre basta escolher, muito tosco sabe… E o fato dela apanhar da mulherzinha me lembra muito a Bela e se eu não tinha paciência pra Bela imagina pra essa guria aqui.
Ahhhhhhhhhhhhhhhh eu quase ia esquecendo uma coisa, alguém leu a série da mediadora? Lembram do nada que a Suze e o Paul iam?Aquele lugar que nao é céu e também não é terra?Então eles tem um lugar desse aqui, está em perigo? Basta ir pra lá.
Minha opinião… Eu sei que escritores também tem que sobreviver e esse livro tem um apelo que vende… Mas pelo amor de Deus me mata nê?! Pegar o que cada uma das sagas de sucesso tem e tacar num livro além de virar uma sopa sem nexo o livro não tem sentido e não transmite nadinha. Os personagens não tem conteúdo e por isso desaparecem e/ou perdem o sentido em qualquer momento. Não dava muito pelo livro mais me decepcionou além do esperado porque dá pra perceber que é um livro meramente comercial.
Sei que tem gente que gosta e gosto é que nem bunda… Então respeite a minha bunda quer dizer opinião!
Por fim estou encerrando a minha primeira participação wee!!! Espero ver vocês muito em breve. Na verdade estou já preparando mais uma participação com uma série que eu amo de paixão! <3~>

6 Comentários

Arquivado em Crap, livro, resenha, revolts, Spoilers

Nem um pouco épico de fato: Ele não está tão afim de você.

Eu vi esse filme no cinema como alternativa a um filme que queríamos ver mas tinhamos perdido. Ou foi num daqueles tempos em que não tem nenhum filme bom passando e você vê o menos pior? Não consigo me lembrar. De qualquer forma, ontem minha querida amiga me liga dizendo “você vai passar na locadora e alugar Ele não está tão a fim de você.” Minha reação foi: “O QUÊ? Não vou alugar essa merda! A gente já viu! E hoje é aniversário do David Bowie e do Elvis! A gente devia ver um filme com o Bowie ou algo mais legal do que isso!”. A minha amiga, por sua vez, disse que tinha bolo com calda de chocolate e que era para eu alugar o filme e ser boazinha.
Então aluguei o filme.

De qualquer forma, nós o revimos. A minha segunda impressão foi beeem diferente da primeira. Não sei se é por causa do meu humor, mas da primeira vez eu gostei do filme, achei ele até legalzinho. Dessa vez, eu o achei insuportável, tirando por algumas partes. O filme é baseado num livro de auto-ajuda (Auto ajuda, HELLO?) e conta várias histórias que são interligadas porque as pessoas se conhecem. A história que mais me irrita é a que envolve a Jennifer Aniston e o Ben Affleck. A que menos me irrita é a da tal Gigi e do menino do bar. Mas vamos por por partes, como Jack diria.

O filme realmente retrata várias facetas dos relacionamentos e de homens e mulheres em geral, mas a maioria das pessoas envolvidas não são nada parecidas comigo. No máximo, a personagem da Drew Barrimore que fica irritada porque “existem 7 formas diferentes de levar um fora” com toda essa tecnologia. Fora ela, nenhum outro personagem feminino se encaixa na minha vida ou na minha personalidade. O desenvolvimento do filme é interessante, mas não há nenhuma “liga”, nada que te deixe realmente empolgado para descobrir o que vai acontecer no final. Todos os relacionamentos têm um desfecho óbvio e, embora o nome do filme, no final nós acabamos descobrindo que tudo dá certo! Os que agem mau se dão mal no final e os que agem de forma equivocada acabam se dando bem como toda comédia romântica do universo. Ou seja: apesar de no início não parecer ser um comédia romântica clichê, acaba se revelando uma. E nem uma boa!

Como eu disse, a história que mais me irrita é a que envolve a Jennifer Aniston. Ela mora com o seu “namorado” a 7 anos e o fica pressionando para casar com ela, numa cerimonia e tudo, mesmo ele dizendo que não acredita em casamento. Ele diz que a ama e não sente vontade de pagar 37 dólares para ter uma certidão que ateste isso. Apesar disso, ela o pressiona e eles acabam terminando. No final, obviamente, ela vê que ele é bem melhor do que o marido de muitas mulheres. O que me irrita é essa fixação que algumas mulheres têm por querer “se casar”, se atendo a essas convenções sociais (porque é uma convenção social sim!) de ter festa, registrar e tudo o mais ao invés de ver o valor do que têm.  Muita gente não se casa e fica junto pelo resto da vida. Qual a diferença que isso faz, de verdade? Eu acho que é muita insegurança da parte dela, no filme, insistir assim por uma coisa que não tem importância.

Enfim,  olha o que o Maximus faria com esse filme:

Mas é claro que se você gosta, não tem problema nenhum. É uma boa passagem de tempo.

4 Comentários

Arquivado em Crap, DVD, Filme, resenha