Arquivo da categoria: futuro apocalíptico

Vamos todos falir em Março, mas vamos falir felizes =D

Era uma vez uma menina que comprava livros. Ela comprava muitos livros. E, além disso, ela leia blogs que diziam “compre mais livros!” ao resenhar livros lindos e maravilhosos.
E assim, ela chegou no mês de março, comprou todo o seu salário do ano em livros e morreu de fome.
FIM!

Esse talvez seja o seu futuro, principalmente se você não tem auto-controle. Depois de ver os lançamentos de Março de algumas editoras, eu pensei “OMFG, vou ter que começar a vender meus órgãos internos para comprar livros.”

Preparados? Vamos lá para a singela lista. Alguns não são do meu interesse, mas como eu sei que tem gosto para tudo, vou adicionar aqui. Conforme for achando mais títulos, faço mais posts ;D

Lançamentos normais/inícios de séries:

Ela foi até o fim, de Meg Cabot: Da Galera
Lou Calabrese é uma roteirista de sucesso – já escreveu vários roteiros de ação que renderam milhões de bilheteria e até ganhou um Oscar! O problema é que seu namorado, o grande astro do filme, resolveu deixá-la pela estrela principal! E agora Lou terá que provar que conseguirá passar por tudo para esquecê-lo e, no caminho, talvez até encontre o verdadeiro amor.
Leia o Primeiro capítulo!

Feios#1, de Scott Westerfeld: Da Galera

Em uma sociedade futurística, todos os adolescentes esperam ansiosos o aniversário de 16 anos, pois então serão submetidos a uma inacreditável cirurgia plástica, que corrigirá todas as suas imperfeições físicas, transformando-os em perfeitos. Tally, porém, acaba se envolvendo em uma conspiração e descobrirá que, por trás de tanta perfeição, se esconde um terrível segredo.
Leia o primeiro capítulo

Kiki de Montparnasse (Graphic Novel), de Catel & Bocquet: Da Galera.
Na Paris boêmia dos anos 1920, Alice Prin tornou-se Kiki de Montparnasse, uma das primeiras mulheres emancipadas daquele século. Companheira de Man Ray e musa de tantos outros como Kisling, Fujita, Picasso e Modigliani, foi eternizada em quadros, fotos e manifestos. A vida como modelo e cantora, as noites nos cabarés, o relacionamento com Man Ray, a amizade com Fujita, a biografia censurada (com prefácio de Ernest Hemingway)… Tudo ganha vida nesta graphic novel biográfica.

Imortal – Histórias de Amor Eterno : Da Editora Planeta.

Coletânea reunida pela Pc Cast, de House of the Night. Ela não importa, o que importa é que tem um conto da Richelle Mead e outro da Rachel Caine (de Mortal Instruments)! Além disso, tem a tal Claudia Gray, da série Evermore.

Continuação de Séries:


Indomada, de P.C. Cast e Kristin Cast (4º livro da série House of the Night)
: Da Novo Século.

“A vida é uma droga quando seus amigos estão chateados com você. Basta perguntar a Zoey Redbird – ela se tornou uma perita no assunto. Em uma semana ela passou de três namorados a nenhum, e de ter um grupo íntimo de amigos que confiavam nela e a apoiavam, para ser uma rejeitada. Falando de amigos, só sobraram dois. Neferet declarou guerra aos seres humanos, Zoey sente em seu coração que está errado. Mas será que alguém a escutará? As aventuras de Zoey na escola de aperfeiçoamento de vampiros da uma reviravolta selvagem e perigosa, lealdades são testadas, enquanto chocantes e verdadeiras intenções vem a luz, e um mal antigo é despertado no quarto volume fascinante da série Casa da Noite.”

Frostbite, de Richelle Mead (nome ainda sendo decidido no Vampire Academy Brasil): Continuação de “O Beijo das Sombras”, pela Nova Fronteira.

Rose ama Dimitri, Dimitri poderia amar Tasha, e Mason morreria para ter Rosa…
É férias de inverno em St. Vladimir, mas Rosa está se sentindo qualquer coisa menos festiva. Um ataque de Strigois volumoso deixa a escola em alerta vermelho, e agora a Academia está fervilhando de Guardiães – inclusive a mãe de Rose, Janine Hathaway. E como se combater com sua mãe não fosse ruim o suficiente, Rose desconfia que Dimitri está de olho em outra pessoa, Mason gruda nela e Rose continua presa na cabeça da Lissa enquanto ela fica com seu namorado, Christian! O Strigoi estão aproximando-se, e a Academia não está tomando quaisquer providências….Este ano, a viagem de esqui anual da St. Vlad é obrigatória. Mas a reluzente paisagem de inverno em uma Idaho elegante só cria a ilusão de segurança. Quando três amigos vão embora em um movimento de ofensiva contra os mortais Strigoi, Rose deve juntar forças com Christian e salvá-los. Mas heroísmo raramente vem sem um preço…

A fúria, de L. J. Smith (Diários do Vampiro#3): da Galera.
Após os inacreditáveis acontecimentos em Fell’s Church, Elena está prestes a iniciar uma nova vida. Porém, seu antigo amor foi esquecido, e agora Damon e Stefan terão que lutar mais uma vez para conquistar sua amada.
Leia o primeiro capítulo!

39 Clues – Uma Nota falsa, de Gordon Korman: Da Ática
 Depois de quase morrerem em Paris, os irmãos Amy e DanCahill finalmente conseguem a primeira das 39 pistas e agora partem para a cidade onde viveu um dos maiores compositores de todos os tempos: Viena, a terra de Mozart! Os irmãos também vão passar por Salzburgo, uma cidade linda e calma, conhecida por seu renome musical, sua arquitetura barroca e belas paisagens.

Esse já lançou, mas você vai querer de qualquer forma:
Opúsculo – THE HARVARD LAMPOON: Da Novo Século.

Opúsculo é uma hilariante paródia do Crepúsculo, de Stephenie Meyer, e conta a história de amor de Belle Goose e o misterioso e brilhante Edwart Mullen, Belle é uma garota pálida e desajeitada que chega a cidade de Switchblade, Oregon, buscando aventura, ou pelo menos um colega de classe imortal. Após testemunhar uma série de eventos estranhos – Edwart deixa suas batatas fritas intocadas no almoço! Edwart a salva de uma bola de neve voadora! – Belle tem uma dramática revelação: Edwart, um geek com interesse zero em garotas, é na verdade um vampiro, pelo qual ela está completamente apaixonada. Surge então o dilema: como ela poderia convencê-lo a mordê-la e assim transformá-la em sua noiva eterna, já que ele parece achar todas as garotas tão repulsivas? Cheio de romance, perigo, insuficiente proteção paternal, arrepiante comportamento de caçador compulsivo e com um baile de formatura de vampiro, Opúsculo é um conto tumultuado sobre uma garota obcecada por vampiros, que busca o amor em todos os lugares errados.

Fontes:
Publish News
Vampire Academy Brasil
Novo Século
Sobre Livros
39 Clues Brasil

Anúncios

7 Comentários

Arquivado em futuro apocalíptico, livro, Novidades, Vampire Academy, Vampire Diaries

Hasta la vista, baby. – Porque eu amo Exterminador Do Futuro.


Resolvi escrever esta resenha porque há mais ou menos uma semana eu vi Avatar, um filme que me fez gostar ainda mais do James Cameron.

Quer dizer, não que ele seja meu diretor favorito. Esse posto está reservado unicamente para o Steven Spielberg, apesar de ele ter feito uma pá de filme ruim.

O James Cameron é um cara bastante egocêntrico. (Ele foi eleito o mais convencido de Hollywood. Isso é muita coisa) Ele gosta de coisas grandiosas, vide Avatar e Titanic.
Mas meus dois filmes preferidos, entre todos que ele fez, continuam sendo Exterminador do Futuro 1 e 2. O Cameron não filmou o 3, e é uma merda que todo mundo odeia.

A história é a seguinte: No futuro, o mundo é dominado pela Skynet, um super-software de computador. No começo, a Skynet era só um projeto da Cyberdyne Systems para ser controlar os armamentos dos Estados Unidos e evitar erros humanos.
Porém a máquina ganha consciência própria em 1997 e chega a uma conclusão: A humanidade deve ser exterminada.
Como tem o controle de todo o arsenal dos E.U.A, ela lança um míssel na Rússia.
A Rússia responde lançando outro míssel.
Os governos entram em colapso e chegam à anarquia total.
Nisso, TRÊS BILHÕES de humanos morrem em, hmmm, meia hora.

Os sobreviventes formam uma Resistência, liderados por John Connor. Aí entra a história do primeiro filme. Para matar o líder, eles mandam um Terminator, um robô com esqueleto de metal revestido com tecidos humanos, para matar Sarah Connor, a mãe de John.
E John manda Kyle Reese para protegê-la.
Mas aí Kyle Reese se apaixona por Sarah, e bom, eles dormem juntos.
E Sarah engravida. E o filho dela é John.
Não é demais? Tipo, é um paradoxo. Se John não mandasse Kyle pro passado, não teria nascido. Mas Kyle só nasceu muito depois que John. Ou seja, ele é mais velho que o próprio pai!
No final Kyle e Sarah exterminam o Exterminador (?) e o futuro continua como deve ser.
Outra coisa interessante é ver a transformação de Sarah, uma garçonete meio atrapalhada, numa doida de pedra verdadeira soldado.

Porém, o filme 1 é só uma introdução. O clímax acontece no 2, quando o John já tem 10 anos e é uma criança problemática que vive com pais adotivos porque a Sarah está num hospício por tentar explodir uma fábrica de computadores.

MASTER SPOILERS a seguir:
Ao ver que seu plano inicial falhou, a Skynet manda mais um Terminator, dessa vez mais avançado. Ele não é feito de um esqueleto metálico, que nem o Arnold Schwarzennegger do primeiro filme. Ele é feito de metal líquido, e pode assumir a forma que quiser. E esse Terminator é mil vezes mais difícil de destruir, pior do que aquela barata da sua casa que fica fugindo e nem Baygon consegue matar

Eu sou mau e pareço o Surfista Prateado! Mwhauahuha.


Só que John Connor é esperto. Ele re-programa um Terminator que também é o Arnold Schwarzennegger para proteger a si mesmo e sua mãe. Como ele é um dos meus personagens favoritos de todos os tempos, vou chamá-lo de Homem De Lata, que é um nome muito mais legal que Cyberdyne Systems Model 101.
Seguem-se daí várias cenas de perseguições e fugas.

O Cara do Mércurio Cromo mata os pais adotivos do John e mais monte de gente. Durante esse tempo, o Terminator aprende a ser mais humano. Tem até uma cena super-fofa que ele pergunta pro John: – Por que vocês choram?

Aí ele explica que é quando dói, mas dói por dentro. O Homem de Lata faz uma cara de “WTF?” e eles continuam a fuga.
Mais tarde a Sarah tenta matar o tio que está desenvolvendo a Skynet. Ela fala que ele é responsável por três bilhões de mortes, e bom, isso o convence.

Então todos eles tentam destruir o chip, claro que escondido dos outros pesquisadores.

No final eles conseguem destruir o Mércurio Cromo e o chip. Só que ainda falta um Terminator. O Homem de Lata!

Ele diz que tem que ser morto para os Exterminadores não existirem. Aí o John e a Sarah ficam tipo “Nãããoo, Homem de Lata!” E então o T-101 diz: – Agora sei porque vocês choram. Mas isso é algo que eu nunca poderei fazer.

E ele se joga no ácido fundido.

Eu chorei litros nessa parte.
Quer dizer, internamente.
Eu fiquei mais triste do que quando assisti P.S Eu te Amo.
Sério.
Mas o filme é muito, muito bom.

Ficção científica de qualidade 😛
É nesses filmes que a gente vê a genialidade do James Cameron.

Grandes líderes, nunca confiem seu todo arsenal num software auto-suficiente.

5 Comentários

Arquivado em Filme, futuro apocalíptico, James Cameron, resenha, terminator