Arquivo da categoria: Sherlock Holmes

Clash Of The Titans: Hercule Poirot vs. Sherlock Holmes

Mas ele não é careca, porra!

Ok. Antes que você pense “Como a Cherry_B é hipócrita!”, quero esclarecer para quem leu o meu revolts sobre Percy Jackson, que eu odeio comparações sem fundamento. Colocar tudo no mesmo saco, dizendo que não sei o quê e o novo não sei o quê.
Isso não é uma comparação sem fundamento, eu não vou dizer “AFF! Agatha Christie noob, copiou o Conan Doyle!”, é só que eu estou lendo Assassinato No Expresso Oriente e fiquei pensando: “E se o Poirot encontrasse com o Holmes?”
Então, no maior estilo Mundo Estranho, resolvi fazer um Duelo entre os dois, respeitando as diferenças e os pontos fortes.

“Você pensa que é muito inteligente, monsieur Holmes, mas não passa de um simples cão de caça na forma de detetive.”

“Desculpe-me a indelicadeza, Mr. Poirot, mas creio que um indivíduo tão pequeno tenha problemas de auto-estima.

Seriedade e persuasão: Os dois detetives podem honrar o Guia Do Mochileiro Das Galáxias nunca entrando em pânico, mas Poirot leva o prêmio com seus nervos de aço.
Holmes pode ser perspicaz, mas é muito volátil. Tem um hiperfoco danado, mas quando não quer fazer uma coisa, não faz.
Poirot é o tipo de sujeito engomadinho: Todo arrumado e penteado. (Não me pergunte como, já que ele é careca)
E deve ter um Q.E muito alto, já que consegue convencer e arrancar informações até de um carcereiro.

And the winner is… Hercule Poirot!

“Já tinha previsto…”

Mulheres que já pegou: Monsier Poirot que me desculpe, mas eu não me sentiria atraída por um cara com cabeça de ovo e bigodinho. Dizem que Hercule só teve um amor, que eu não sei quem é, mas deve ter na wikipédia. Seu oponente, por outro lado, é um ladies man. Em suas aventuras, conta-se o envolvimento com mais de 14 mulheres. Adler, a mau-caráter, foi a mais importante de todas.
Holmes era descrito como um homem charmoso, alto, magro e com queixo quadrado. Tirando a parte do queixo, eu pegava.

And the winner is… Sherlock Holmes!

Apesar de todas as suas aventuras, sabemos quem é o amor da vida de Holmes. -q

Conhecimentos gerais: Holmes é preguiçoso. Ao mesmo tempo que é fluente em várias línguas e bom de briga, não sabe porra nenhuma de astronomia e coisas que ele julga chatas. Não gosta de ficção também. Ele seria o gordinho que cria um tópico para perguntar “O QUE É BBB?” ao invés de procurar no google.
Poirot não. Além de sua área de atuação, gosta de literatura e essas coisas.

And the winner is… Hercule Poirot!

Força:
Holmes é inteligentíssimo, mas além disso, é especialista em boxe, esgrima e singlestick.
Poirot é mais verbal. Não faz perseguições e não se esconde na carruagem do suspeito, resolve tudo entrevistando as testemunhas e os suspeitos. O resto ele liga tudo na mente dele.
Apesar do Poirot nunca fazer gordice, o Holmes ganha ponto por ser mais completo.

Dê uma olhada nesse peitoral definido, gordão!


Inteligência:
Esse é um item bobo.
Porque os dois são super-inteligentes, super-observadores e super- perspicazes.
Poirot é metódico, calmo e persuasivo. Sabe ligar os fatos às evidências e aos suspeitos, juntando cada pedacinho e tecendo uma (ou várias) conclusão na sua “massa cinzenta”.
Holmes tem o racicínio rápido e a observação. Liga as evidências aos seus conhecimentos, criando um desfecho sempre muito dramático. (ele nunca diz nada para ninguém, só para surpreender todo mundo no final)

And the final winner is… Empate!

“Marmelada!”

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em diversão, livro, Poirot, Sherlock Holmes

Sherlock Holmes, eu te amo!


Ontem eu vi Sherlock Holmes, e bom, eu achei… foda.
Para quem não sabe, nosso detetive preferido sofria de DDA, apesar de ser tão observador 😛

Antigamente, os filmes de Sherlock Holmes eram todos parecidos: O inglês super-inteligente com sua boina de caçador, cachimbo curvo e seu amigo que parece mais um empregado, o Watson. Claro, Holmes nunca foi descrito assim nos livros. Os filmes antigos não mencionam que o cara era cheio de defeitos, era inquieto e praticante de boxe, esgrima e singlestick.

Você é um saco!

Aí o Guy Ritchie lança o novo filme do Sherlock Holmes, diferente de todos aqueles clichês velhos e irritantes.

No começo, aparece Holmes e Watson prendendo o Lord Blackwood, por ter matado 5 meninas num ritual de magia negra. Seria a última aventura dos dois, por causa do casamento do Watson. Blackwood é enforcado, mas outros problemas aparecem. Aparentemente, o Lord ressucitou, mas é claro que Holmes não acredita nessa besteira. Então vão os dois (Watson meio a contragosto) resolver o mistério.

Eu amei o ritmo ágil, as perseguições, as manias de Holmes, as reclamações do seu BFF Dr. Watson e a Adler, que é encantadora e divertida (Na obra de Conan Doyle, ela aparece em um O Escândalo Da Boêmia).
Não é aquela coisa “eu… estou… resolvendo… o… mistério… *dorme*” é mais para “Eu estou resolvendo o mistério, enquanto vasculho a cena do crime e os lugares para onde ela me leva e fujo dos criminosos ao mesmo tempo!”

Você é foda!

O filme mostra um detetive boêmio, orgulhoso e muito esperto, diferente do velho senhor classudo e arrogante que habitava nossa imaginação. E um Watson bonito (isso é importante!), sagaz e inteligente, que não é o gordinho que só faz gordices que pensávamos que ele era!

Watson que não faz gordice.

Vocês ainda podem reclamar do roteiro, que estava meio óbvio. Mas é claro que não é a mesma coisa de pegar a obra do Conan Doyle e ir juntando as peças!
É uma adaptação, e na minha opinião o Guy Ritchie teve mão hábil ao pegar a essência verdadeira do detetive e transformar numa aventura emocionante e dinâmica.

Ah, e DDA? Isso pra mim é coisa de meio-sangue!
Aposto que o Holmes era filho de Zeus e o Watson era filho de Atena! (Se não entendeu, deixe de ser fanfarrão e vá ler Percy Jackson.)

3 Comentários

Arquivado em diversão, Filme, resenha, Sherlock Holmes